Notícia com Imparcialidade

Perfumazu "Leve essa essência com você"

domingo, 30 de julho de 2017

CORDEL: AS MOENDAS DO ENGENHO

AS MOENDAS DO ENGENHO 
O SERTÃO DO NORDESTE
É RICO EM TRADIÇÃO
TEM COISA BONITA DE VER 
QUE CAUSA ADMIRAÇÃO
COMO UM ACERVO CULTURAL
QUE DE MODO ESPECIAL
CHAMA NOSSA ATENÇÃO
QUERO LEMBRAR HOJE
DAS MOENDAS DE ENGENHO
QUE NA NOSSA TERRA EXISTIU
AQUI FALAR DISSO VENHO
RELEMBRANDO O PASSADO
QUE NELE FUI CRIADO
E MUITAS SAUDADES TENHO
JÁ FOI MOVIDO A BOI
POR MOTOR FOI TROCADO
ASSIM TENDO O TEMPO
O ENGENHO RENOVADO
É A TAL MODERNIDADE
TRAZENDO PRATICIDADE
QUE JÁ ERA ESPERADO
TINHA NA FAZENDA CACHOEIRA
TERRA DE MINHA MÃE DINA
ESPOSA DE SEU AMÂNCIO
CASAL DE GRANDE ESTIMA
QUE ALI MOROU E VIVEU
O TRABALHO DURO CONHECEU
GENTE QUE NÃO DESANIMA
NETO CONHECEU SUZETE
COM QUEM VEIO A SE CASAR
ELA MORAVA NA FAZENDA
E NA CACHOEIRA VEIO MORAR
SUSSU NASCEU DESSA UNIÃO
SENDO ÚNICA SEM IRMÃO
QUE O CASAL VEIO A GERAR
MEU PADRINHO NETO
ERA FILHO DESSE CASAL
GOSTAVA DE ENGENHO
TINHA UM GRANDE CANAVIAL
DA GARAPA FAZIA RAPADURA
COM OS TACHOS NA QUENTURA
O CALOR ERA INFERNAL
O MESTRE DAS CALDEIRAS
ERA LUCAS DE TEREZINHA
QUE SABIA O PONTO
DA RAPADURA AMARELINHA
ERA ASSIM QUE NETO QUERIA
DOCE E CLARA COMO O DIA
FEITO MEL DE ABELHA RAINHA
ACHAVA BONITO DE VER
OS JUMENTOS CAMBITEIRO
QUE CARREGAVAM AS CANAS
ATÉ O LIMPO DO TERREIRO
AO LADO DO ENGENHO
ERA UM TRABALHO FERRENHO
ELES FAZIAM O DIA INTEIRO
A CARGA DO JUMENTO
ERA BOTADA POR JURDÃO
QUE ENCHIA OS CAMBITOS
ATÉ ARRASTAR NO CHÃO
NETO DE NATIM CORTAVA
DEPOIS O JEGUE CARREGAVA
LIGEIRO COMO UM ROJÃO
A MINHA TIA SUZETE
CUIDAVA DA REFEIÇÃO
DE TODOS OS OPERÁRIOS
SEMPRE COM MUITA ANIMAÇÃO
ELA AJUDAVA O MARIDO
ANTES DO SOL TER SURGIDO
JÁ ESTAVA NO PÉ DO FOGÃO
ELES FAZIAM RAPADURA
O MEL E O ALFENIM
TRAZENDO AQUI PARA FEIRA
QUANDO A MOAGEM TINHA FIM
VENDENDO A PRODUÇÃO
DE TODA EXTRAÇÃO
QUE ACABARA SEMPRE ASSIM
EU GOSTAVA DA GARAPA
BEBIA QUE NEM UM LEÃO
NUMA CAPEMBA DE COCO
ACOMPANHADA COM PÃO
LOGO BEM CEDINHO
ERA BOM ESSE GOSTINHO
DE GARAPA COM LIMÃO
DO ENGENHO SINTO FALTA
SÓ NOS RESTA A RECORDAÇÃO
DE MEU PADRINHO NETO
FICOU A SAUDADE SEM DIMENSÃO
DE UM GRANDE SERTANEJO
QUE SÓ TINHA O DESEJO
DE TRABALHAR NESSE SERTÃO

TEXTO: JATÃO DA RÁDIO
* fotos da internet

Nenhum comentário:

Postar um comentário